Conversando com Vincent Pontbriand

Conheça Vincent Pontbriand, o novo Gerente Geral da EA Motive, e saiba o que o deixa mais empolgado sobre o futuro dos jogos.

Em suas próprias palavras

Desde seu início em 2015, a Motive Studios esteve em uma jornada empolgante e de rápido crescimento, que não dá sinais de desacelerar. Às vésperas de seu primeiro lançamento, Star Wars Battlefront II, feito em colaboração com a DICE e a Criterion Games, nos encontramos com seu novo Gerente Geral, Vincent Pontbriand, para saber mais sobre suas motivações e o que o empolga na indústria dos jogos.

 

Para os leitores que não o conhecem, qual é a sua função na Motive?

Como Gerente Geral do estúdio, eu supervisiono todas as funções organizacionais, além de chefiar e dirigir as equipes, conforme elas criam experiências de entretenimento para os nossos jogadores. Como somos um estúdio novo, eu também busco construir e manter nossa cultura, desenvolvendo ainda mais nossa missão e visão. 

A Motive liderou o desenvolvimento da campanha para um jogador de Star Wars Battlefront II, o que é muito emocionante! Há algo que você queira contar aos seus fãs sobre essa experiência?

Tivemos uma oportunidade incrível de contribuir com ideias originais, alinhadas ao objetivo de criar uma nova história, em uma experiência autêntica de Star Wars com a Lucasfilm. Tudo aconteceu ao mesmo tempo, o desenvolvimento da campanha, a montagem do estúdio e da equipe em Montreal, a criação e o refinamento dos nossos processos, etc. Então, como você pode imaginar, isso trouxe alguns desafios, mas nós nos adaptamos e agora estamos começando a ver os resultados. Em minha opinião, valeu muito a pena.

"A inovação nunca parou, e se você for curioso, pode ver o futuro de relance, agora mesmo, por meio dos jogos e apps independentes."

Que palavras definem melhor a sua cultura de equipe?

Ainda estamos nesse processo de definição, pois continuamos crescendo como estúdio e estamos nos conhecendo. É quase como fazer parte de uma start-up. Eu adoro o fato do estúdio ser formado por gente de todas as partes do mundo, além do pessoal da indústria local. Eles se uniram para criar uma coisa nova e tudo parece possível.

O que motiva você pessoalmente, como líder?

Eu gosto de trabalhar com pessoas talentosas e criativas, que sejam capazes de ter ideias malucas e de defendê-las. É bom trabalhar com objetivos e limites claros, mas devo admitir que também gosto de um bom desafio. Se você está enfrentando bloqueios, mas termina o trabalho, a recompensa é maior do que o esforço e tudo se encaixa. Nada é mais gratificante do que isso.

 

Parece que há muitas coisas empolgantes acontecendo na Motive. O que deixa você mais empolgado (sem revelar nenhum segredo, claro)?

Estamos prestes a lançar nosso primeiro projeto, nosso primeiro trabalho coletivo, o que é muito emocionante para a equipe. Tem sido uma jornada fantástica: aprender a trabalhar com a engine Frostbite (uma das mais avançadas da indústria), trabalhar em uma franquia idealizada como Star Wars e assim por diante. Mas o aprendizado que tivemos com essa experiência foi valiosíssimo e vai nos ajudar muito quando avançarmos para o próximo capítulo. Nós temos novos projetos, incluindo a criação de uma PI original, a partir do zero. Estamos no processo de montagem das equipes e da tecnologia para suportá-las, explorando e sendo pioneiros no gênero Ação e Aventura. Nós recebemos uma oportunidade fantástica.

Você está na indústria dos jogos há mais de duas décadas. O que o deixa mais empolgado em relação ao futuro dos jogos?

Para mim, os jogos não são só uma forma de fornecer experiências divertidas de entretenimento, mas também oferecem aos jogadores a capacidade de escapar da realidade e viver fantasias, que são difíceis ou impossíveis de replicar em outras mídias.

Eu tenho interesse em novas tecnologias em geral, porque ao longo dos anos, ela expandiu os limites do envolvimento e da fidelidade sensorial, mas também nos permitiu explorar novos gêneros de jogos. Nossa indústria é a primeira a adotar essas tecnologias, agindo como pioneira, muitas vezes. Podemos pensar em Jogos Online, áudio e gráficos em 3D, física, captura de movimentos, entrada por toque, dispositivos móveis, dispositivos vestíveis, Streaming, Nuvem, RV, RA e assim por diante.

A inovação nunca parou, e se você for curioso, pode ver o futuro de relance agora mesmo, por meio dos jogos e apps independentes. Geralmente elas levam algum tempo para chegar aos jogos do mercado de massa, pois precisam ser acessíveis, bem disseminadas, etc.

Eu também estou ansioso para explorar tecnologias inovadoras, como IA, e novas maneiras de empoderar nossos jogadores.

 

Se você pudesse ter um superpoder, qual seria?

Ser destemido.

Tem curiosidade sobre trabalhar com jogos? Acesse nossa página de carreiras!

 


Fique por dentro de tudo relacionado à EA: leia nosso blog, siga-nos no Twitter e curta nossa página no Facebook.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Em suas próprias palavras: Florian Le Bihan, Designer Competitivo no Battle…

Electronic Arts Inc.
12/12/2017

Em suas próprias palavras: Eleanor Meltzer

Electronic Arts Inc.
20/09/2017

Em suas próprias palavras: Lacy Rohre

Electronic Arts Inc.
18/08/2017
Conheça Lacy Rohre, gerente sênior de conteúdo e comunicações da Ajuda da EA